O conceito da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre o que é saúde, está ligado a “um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não apenas como a ausência de doença ou enfermidade.”

A qualidade de vida no trabalho é entendida como conciliar a saúde e qualidade de vida nos contextos: físico, emocional, independência, social, ambiente e espiritual; sendo estes mesmos, os parâmetros de avaliação entre estar mais ou menos saudável dentro de uma empresa.

A avaliação corporativa da qualidade de vida no trabalho, pode ser feita através da Pesquisa de Clima Organizacional, que é, segundo a definição da Solides, uma plataforma de Recursos Humanos, a ferramenta avaliativa que faz o mapeamento das percepções dos colaboradores em diferentes aspectos, com questões que são assinaladas, conforme suas experiências dentro das organizações; demonstrando seu grau de engajamento e satisfação dos pontos abordados (cultura organizacional, condições de trabalho, criatividade para momentos de descontração, colaboração entre a equipe, liderança, investimento e crescimento pessoal e profissional e reconhecimento).

Empresas precisam de pessoas, e estas estando mais saudáveis podem desempenhar melhor suas atividades, com qualidade e atingindo seus objetivos.

Empresas podem proporcionar através de Programas e Ações estimular um melhor clima organizacional e consecutivamente maior qualidade de vida no trabalho:

  • Programas de saúde e bem-estar (controle de álcool e drogas, preparação para aposentadoria, orientações nutricionais, terapias alternativas, anti-tabagismo, cursos de culinária, dinâmicas de grupo, palestra motivacional e saúde emocional, roda de conversa, massagem rápida…)
  • Reconhecimento profissional
  • Flexibilização da jornada de trabalho
  • Sugerir melhor comunicação interna
  • Incentivo à exercícios físicos (Ginástica laboral)
  • Treinamento e desenvolvimento dos colaboradores
  • Condições de Ergonomia
  • Propor benefícios e parcerias
  • Aplicar avaliação de desempenho, dar e receber feedback
  • Ações de higiene e segurança do trabalho
  • Estudo de cargos e salários
  • Celebração de datas comemorativas
  • Propor remuneração justa e adequada
  • Sugerir bom relacionamento com colegas e superiores
  • Apoiar liberdade de decisão e participação
  • Apoiar Igualdade de oportunidades
  • Indicar Day off (dia de folga, sem desconto, no aniversário do funcionário)

Talvez um grande desafio esteja no incentivo à prática de esportes terem aderência. A startup VIK criou um app e um programa que tem ajudado a melhorar os resultados das pesquisas de clima, além de reduzir as despesas com tratamentos de saúde, proporcionando um programa de saúde e bem-estar para colaboradores.

Eles entenderam que o que motiva a prática de esportes e se atravessar a linha de chegada, é atingir um objetivo. Daí surgiu a ideia da gamificação, e transformar o exercício físico em competição.

Marcela Eiras Rubio
Graduada em Psicologia pela Universidade São Marcos, Aprimoramento Profissional em Atendimento Interdisciplinar em Geriatria e Gerontologia pelo IAMSPE (Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual) e pós-graduação em Gestão de Pessoas pelo SENAC. Atuações como psicóloga hospitalar no Programa Melhor em Casa do Hospital Municipal Dr. Moyses Deustch – Mboi Mirim, HGIS (Hospital Geral de Itapecerica da Serra) e HRC (Hospital Regional de Cotia). Atualmente atua como consultora em Recursos Humanos na RHF Talentos – Unidade São Paulo.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.