Imagine a seguinte situação: você está namorando com o seu crush, com trocas de carinho e carícias e de repente ele ecoa pelo cômodo: um pum vaginal. É uma situação constrangedora para muitos, mas é bem mais comum do que se imagina e acontece com frequência. 

Os flatos vaginais ou pum vaginal, como também é conhecido, se dão pela saída de ar pela vagina, cujo som é parecido com um “pum”, mas sem odor. Ele pode representar algum grau de flacidez na vagina. 

A entrada do canal vaginal é fechada pela musculatura do assoalho pélvico (MAP). Durante o ato sexual, a vagina precisa se abrir para acomodar o pênis. Se a vagina tem um bom tônus muscular, o pênis entra e sai “apertadinho”, sem espaço para que alguma quantidade de ar entre também. 

Mas dependendo da posição, as paredes da vagina podem se desencostar do órgão sexual masculino e formar uma abertura que permite a entrada de ar. 

Com o avançar da idade, menopausa, vaginas mais flácidas, isso ocorre com bem mais frequência, já que “sobra espaço”, e o ar entra durante a penetração, fazendo esse barulho indesejável que deixa o casal um pouco desconfortável.  

Como evitar

Para evitar os flatos vaginais é importante fortalecer a musculatura do assoalho pélvico, o que pode ser feito com ginástica íntima, como o pompoarismo. Assim, é possível aprender a controlar as contrações do seu canal vaginal diminuindo os flatos e aumentando o prazer sexual.

Além disso, você pode também mudar de posição durante a relação sexual ou pedir ao parceiro que não faça movimentos bruscos ou rápidos durante o sexo.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.