A menopausa é um período inevitável, mas ao mesmo tempo marcante na vida das mulheres. Muito além do fim do ciclo menstrual, que estabelece um ponto final na sua fase reprodutiva, as alterações hormonais tornam essa passagem mais complexa e muitas vezes até difícil de superar.

Por se tratar da redução drástica de produção de estrogênio, o hormônio feminino responsável pelo controle da menstruação, é natural que apareçam alguns “sintomas” neste processo. Os principais são as ondas de calor e a irregularidade do ciclo menstrual no período que precede a última menstruação.

Mas estes não são os únicos. Também pode haver incidência de sudorese (excesso de suor), irritabilidade, insônia, secura vaginal, coceira, desânimo e cansaço, dores de cabeça, dentre outras ocorrências.

Há diferentes tratamentos para contornar o sofrimento que cada mulher enfrenta nesse momento. Dentre eles estão algumas ervas capazes de restabelecer o equilíbrio hormonal, aliviando os incômodos que ocorrem no corpo. Em geral, as ervas têm efeito direto na menstruação, mas também há alternativas que reduzem a sensação de calor e a instabilidade emocional que pode ocorrer na menopausa.

Dentre elas está a salva, recomendada para quem precisa corrigir os níveis hormonais ou reduzir as ondas de calor. Já o chá verde ajuda a fortalecer o metabolismo ósseo, cuja queda acomete muitas mulheres no período da menopausa, e que em um médio-longo prazo pode levar até mesmo a uma osteoporose. Outras opções, como o pé-de-leão, a agripalma e a árvore-da-castidade, podem auxiliar na regulação do fluxo menstrual, mas devem ser ingeridas com consentimento de uma especialista.

De acordo com o médico Lucas Penchel, “as ervas atuam diretamente no sistema reprodutor feminino ou nos pontos do organismo que apresentam patologias decorrentes da menopausa. Há excelentes opções de chás, inclusive blends, que proporcionam vários benefícios à saúde da mulher neste período”.

Ele recomenda que as mulheres que estão passando pela menopausa busquem identificar com clareza os principais problemas que o organismo está apresentando e conversar com o ginecologista. “É importante que tenham sempre orientação profissional, mas os chás, por serem naturais e bastante leves, podem aliviar bastante alguns dos sintomas que mais provocam incômodos”, conclui Penchel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.