A mineira Ana Azevedo, de 39 anos, incomodada com a flacidez que se formou na área abaixo dos olhos, procurou uma farmacêutica bioquímica especializada em estética para suavizar as famosas “bolsas”, mas viu o desejo de melhora se tornar um pesadelo.

A mineira conta que a profissional indicou a aplicação do jato de plasma e o resultado causou danos sérios na sua pele. A maquiadora teve queimaduras severas no rosto e precisou de um ano de tratamento para recuperar a sua pele.

O jato de plasma é um procedimento não invasivo, feito com um aparelho que libera plasma fracionado para tratar a flacidez das pálpebras, rugas e algumas lesões benignas como verrugas.

Foto: Divulgação Instagram

Para a Universa, Ana disse ainda que no fim de 2020 procurou a farmacêutica bioquímica com a intenção de fazer os fios de PDO (polidioxanona), procedimento que hidrata e ameniza um pouco as rugas e as linhas de expressão. Porém, foi convencida de fazer o jato de plasma.

“Ainda perguntei se não ia dar problema, já que eu tenho melasma e o jato é quente. Mas, ela falou: ‘eu te garanto que vai ter uma melhora benéfica e muito mais eficaz do que os fios de PDO’. Então, confiei.”, disse.

Ana lembra que assim que o procedimento terminou, sua pele ficou imediatamente irritada e vermelha, mas o pior foi o dia seguinte: seu rosto estava completamente inchado. “Era de chorar. Não podia colocar óculos nem lentes de contato ou máscara porque tudo machucava. Foi a pior experiência da minha vida”, diz ela, que não procurou a farmacêutica nos dias seguintes.

Ainda segundo a Universa, cinco dias após o procedimento, Ana já tinha marcada uma mastopexia – a retirada do excesso de pele e musculatura dos seios. Mas o médico-cirurgião a alertou que a queimadura no seu rosto era “gravíssima”.

“Ele me deu tanto antibiótico no pós-operatório que acabou ajudando a secar a pele dos olhos”.

A maquiadora afirma que a profissional que aplicou o jato a plasma não admitiu que houve erro no procedimento, mas não pensou em processá-la. Elas fizeram um acordo e o tratamento não foi cobrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.