Sabemos que a luta pelos direitos femininos está cada vez mais em alta e essa é uma pauta muito importante da nossa sociedade. A busca por direitos iguais e respeito está longe de ter um fim. 

Esse desafio se estende há séculos, e em anos anteriores, a falta de direitos às mulheres chegava a beirar o absurdo. Contudo, é importante reconhecer que as marchas, revoluções, greves, renderam resultados positivos e muitos direitos foram conquistados. 

É até difícil de acreditar que coisas comuns feitas hoje em dia eram proibidas pelas mulheres. Listamos algumas delas para te mostrar. 

1. Não podiam frequentar faculdades

Foto: Divulgação Freepik

O direito das mulheres de cursarem uma faculdade foi concedido apenas em abril de 1879, através de decreto. Mesmo com o direito já garantido por lei, muitas mulheres eram hostilizadas e sofriam preconceito por estarem frequentando as universidades.

2. Abrir uma conta no banco

Foto: Divulgação Freepik

Há alguns anos, as mulheres não podiam ter controle financeiro nem se responsabilizar pelos assuntos econômicos da família. Por isso, em vários países as mulheres eram proibidas de ter contas bancárias e até mesmo de pedir empréstimos financeiros.

No Reino Unido, apenas em 1975 as mulheres ganharam o direito de ter contas em seus nomes, mas rodeadas de muito preconceito.

3. Fazer parte do júri

Foto: Divulgação Gardiner P. Bissel, Oregon Journal (Wikmedia)

Em meados de 1879, a Suprema Corte considerava que as mulheres possuiam um “defeito de sexo” e por isso não podiam fazer parte do conselho.  Até metade da década de 70, os estados norte-americanos ainda tinham esse poder de decidir se as mulheres podiam ou não integrar um júri. 

4. Usar calças

Foto: Divulgação Infrogmation (Wikimedia)

Em muitos países as calças só podiam ser usadas por homens, já que o padrão exigia que elas usassem somente saias e vestidos. Quando contrariavam essa regra, as mulheres eram vistas com um ar de rebeldia e insubordinação.

5. Usar biquínis

Foto: Divulgação Freepik

No Brasil, no início dos anos 1960, o então presidente Jânio Quadros, proibiu o uso de biquínis em praias e piscinas públicas. Muitos consideravam o traje indecente, mas graças à resistência das mulheres voltou a ser exibido aos poucos. 

6. Votar

Foto: Divulgação Shutterstock

Um dos direitos mais sofridos ao longo do tempo por parte das mulheres que não tinham o poder de exercer seu voto. A causa foi marcada por uma brava luta durante décadas até que o voto fosse garantido. No Brasil, apenas em 1932, com a nova legislação eleitoral, é que o sexo feminino pôde passar a exercer seu direito de escolha.

7. Esporte “de homens”

Foto: Divulgação Fernanda Coimbra (CBF)

No Brasil, um decreto editado por Getúlio Vargas, em 1937, afirmava que mulheres só podiam praticar esportes que estavam “de acordo com suas condições físicas”. Após muitas lutas, em 1979 a lei foi revogada e as mulheres puderam praticar esportes como futebol, lutas, e outros, consideradas por muitos somente para homens. 

8. Entrar para as forças armadas

Foto: Divulgação Tarcisio Schnaider (Shutterstock)

A presença das mulheres no Exército era totalmente proibida há alguns anos. Somente em casos de extrema necessidade era possível vê-las em situação de guerra. 

9. Usar pílulas contraceptivas

Foto: Divulgação Freepik

O sexo era tratado por muitos apenas como meio de reprodução, e as mulheres tinham muitas gestações ao longo da vida. As pílulas anticoncepcionais começaram a surgir ainda no século 20, mas primeiramente apenas as mulheres casadas podiam ter acesso a elas.  A pílula significou uma verdadeira revolução na luta feminina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.