Cid Guerreiro, o compositor de um dos maiores sucessos de Xuxa. Ilariê, revelou alguns detalhes sobre a canção, especificamente sobre o boato de um pacto feito pela rainha dos baixinhos e o diabo.

Entoada por crianças jovens e adultos na década de 1980, Ilariê fez com que a carreira da cantora e apresentadora explodisse na época.

O boato com o “coisa ruim”, começou pouco tempo depois do sucesso, isso porque segundo algumas pessoas, se você colocasse a música de trás para frente passava uma mensagem subliminar.

Hoje, convertido a Igreja Evangélica, Cid Guerreiro revelou que a música não está relacionada a uma possível conexão com o diabo, e que isso não passou de invenção do público.

“O boato surgiu dentro da Igreja Evangélica. Falavam que era um ex-bruxo que virou pastor e espalhava que Ilariê tinha a ver com ‘erê’, as crianças do candomblé, que a Igreja considera como pequenos demônios”. “Inventaram que era uma palavra de um dialeto africano, sendo que fui eu que inventei. Esse cara dizia que eu fiz o pacto e entreguei a música para a Xuxa. Ela era o alvo.”

Foto: Reprodução Instagram

O que é Ilariê?

Segundo o criador, é uma palavra derivada do ‘hilária’, uma das várias qualidades que ele via em Xuxa. “A Xuxa é uma pessoa animada, feliz, alto astral, sempre para cima. Ela é hilária. Criei o refrão pensando nisso”. Ele complementou sobre como ele pensou na música para fazer sucesso no passado: “Na música da Bahia, temos muito forte isso do refrão com ‘iê iê’, ‘uô uô’.
‘Ilariê’ vem disso. Eu precisava de um refrão forte e, na época, tinha uma música de sucesso chamada ‘Dança do Bambolê’, fiz para rimar”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.