Assisti ao filme Top Gun: Maverick recentemente. Sim, sou uma fã do filme desde o primeiro, que fez parte da minha adolescência, e devo ter assistido algumas dezenas de vezes, quando reservávamos filmes na locadora. A fita era disputada mesmo depois de anos de circulação, era preciso reservar. Uma dinâmica impensável para os dias atuais.

Mas ao estar no cinema naquele dia, meu olhar não era somente para o Tom Cruise, para quem o tempo parece não ter passado. E nem para a cena do futebol americano na praia. Meu olhar era também para o porquê um filme com uma fórmula de quase 40 anos continua atraindo o público.

Top Gun: Maverick ultrapassou US$ 1,2 bilhão de arrecadação global; e já é o filme de maior bilheteria mundial da Paramount. E além de sua receita, impressiona também por sua jovem audiência. As estatísticas obtidas até o momento revelam que 37% do público tem entre 18 e 34 anos, a geração Z.

O que leva o público jovem aos cinemas?

O filme possui aventura que parece ser na medida, as sequências aéreas são perfeitas, fazendo com que o público voe junto com os pilotos o tempo todo. E é uma delícia sentir que está pilotando um caça!

Mas não é só isso. Top Gun: Maverick é sobre encontrar sua força interior, reconhecer, e superar os próprios limites. É você sendo melhor que você mesmo, o que é bem traduzido em uma das frases do filme “o inimigo também leu o manual do caça, mas ele não conhece o SEU limite”.

É sobre honra, coragem, garra, trabalho em equipe, hierarquia e superação, que parecem ser valores um pouco esquecidos na sociedade atual, principalmente pela geração Z, que nasceu conectada a tudo e a todos, pode comprar produtos e serviços de qualquer parte do mundo com um click, mas que parece estar carente de limites e em busca de verdadeiros heróis.
Além disso, ainda há um outro destaque: a gratidão.

Há várias passagens que relembram personagens do primeiro filme, e o ponto alto é a homenagem a Val Kilmer, que, aos 62 anos, sofre com um câncer de garganta na vida real. A cena entre Maverick e Iceman tem o tom certo entre gratidão e respeito.

Top Gun: Maverick é uma daquelas raras sequências de filme que são tão boas quanto a primeira versão, mas acima de tudo, é a sétima arte resgatando valores e sentimentos que lembram a cada um de nós que é a superação pessoal que nos torna fortes e independentes. Não há outro caminho.

Go Maverick!

Executiva do mercado de tecnologia, esposa, mãe de gêmeos, amante de uma boa conversa e um bom vinho. Em sua trajetória profissional trabalhou para as maiores empresas de tecnologia do mundo, onde teve a oportunidade de interagir com profissionais de diferentes culturas, o que moldou sua visão de gestão. Pós-graduada em marketing, formação de diretores pelo IESE/ISE, curso livre no INSPER, inúmeros cursos online e buscando os próximos. Estudar e colocar em prática é sua paixão. Sempre acreditou no poder do estudo e no trabalho para fortalecer e transformar o indivíduo. Você pode encontrá-la nas redes sociais como @glaumaurano.
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.